junho 2018 (34ª edição)

Seis anos de trabalho da Equipa da Comunicação

 

 

Para comemorar seis anos de trabalho na área da comunicação pretendemos partilhar, através deste artigo, o resultado do trabalho desenvolvido ao longo destes anos, descrevendo os nossos planos, decisões, sucessos e insucessos, esperando que possa ser útil aos colegas.

 

A história começa em março de 2012…

Guia para Utentes

No âmbito do Protocolo de Cooperação estabelecido entre o ACES Porto Oriental, a Unidade de Saúde Pública e a Delegação do Porto da ACAPO, somos a informar que esta unidade funcional já disponibiliza aos seus utentes um guia para utentes em Braille, para promover a proximidade do cidadão aos serviços de saúde.

Este guia está também disponível em inglês. Procuramos, desta forma, manter os princípios de equidade e igualdade a toda a população.

     

       Susana Pereira Torres,Técnica de Saúde Ambiental

Conferência “A epidemia do Tabagismo em Portugal: pistas para a compreensão”

No dia 29 de junho decorreu na Escola Nacional de Saúde Pública a conferência intitulada “A epidemia do Tabagismo em Portugal: pistas para a compreensão”, organizada pelo Prof. Julian Perelman e o seu grupo de investigação na área do tabagismo. Nesta conferência foram discutidos os dados mais recentes de prevalência do tabagismo em Portugal e a distribuição consoante as variáveis socioeconómicas mais relevantes. Foram apresentadas as principais conclusões do grupo de investigação no âmbito das desigualdades socioeconómicas do tabagismo.

Festival Rock in Rio – a atuação do setor da saúde

 

Este ano decorreu mais uma edição do Rock in Rio Lisboa. Como tem sido habitual, o Dr. Ricardo Mexia, enquanto responsável pela equipa do setor da saúde, convidou os médicos internos de saúde pública a visitar o recinto para conhecer o trabalho desenvolvido no âmbito deste evento de massa.

O número de participantes diário chega a ultrapassar os 80 mil, o que implica um grande esforço de coordenação das entidades organizadores, para garantir tanto a prevenção como a resposta adequada a eventuais acidentes ou problemas de saúde que surjam durante o evento. 

Campanha de Sustentabilidade do Ministério da Saúde 2018

No âmbito da implementação do Programa de Eficiência Energética (Eco.AP) e do Plano Estratégico do Baixo Carbono (PEBC) do Ministério da Saúde, tem sido levadas a cabo um conjunto de iniciativas que visam fornecer, a todas as entidades do Ministério da Saúde (MS), as condições necessárias para o cumprimento das exigentes metas definidas nos Despachos dos Secretários de Estado da Saúde, incluído o mais recente 4128/2017, de 3 de maio de 2017.

A campanha assenta na afixação de cartazes em formato A3/A4 em pontos de leitura biométrica, junto a impressoras, perto do hall de entrada, aplicados fundos de ambiente de trabalho nos computadores dos colaboradores, podendo também proceder-se à difusão do template via Facebook e na intranet.

Sabia ?ue…

São as Técnicas de Saúde Ambiental da Unidade de Saúde Pública que desde 2015   procedem, no âmbito do programa  REVIVE ( Rede Nacional de Vigilância de Vetores), à captura de mosquitos e carraças, entre os meses de maio a outubro – período mais favorável ao desenvolvimento destes vetores.

O objetivo é monitorizar e vigiar a atividade dos vetores de transmissão de doenças (apenas uma picada pode transmitir doenças tais como malária, dengue, chikungunya, febre do Nilo Ocidental, leishmaniose, doença de Lyme, febre-amarela, encefalite japonesa, entre outras).

Uma iniciativa entre orientadores de formação de médicos internos de saúde pública

No passado dia 24 de abril tive o privilégio de iniciar um trabalho de articulação, através da assinatura de uma carta de compromisso, com o Dr. Luís Cadinha e o Dr. Rui Capucho Ferreira, médicos de saúde pública da Unidade Local de Saúde do Nordeste. Esta iniciativa, que teve a concordância da Coordenadora do Internato Médico de Saúde Pública da zona Norte, Dr.ª Marta Salgado, enquadra-se nas nossas funções como orientadores de formação e tem como finalidade ...

Visita às termas de Terronha-Vimioso

O papel do médico de saúde pública no âmbito do termalismo decorre eminentemente das funções que desempenha no âmbito da autoridade de saúde e está principalmente associado à vigilância da qualidade das águas. A alínea a) do n.º 3 do artigo 5º do Decreto-Lei n.º 82/2009, de 2 de abril, republicado no Decreto-Lei n.º 135/2013, de 4 de outubro, define como função da autoridade de saúde “vigiar o nível sanitário dos aglomerados populacionais, dos serviços, estabelecimentos e locais de utilização pública e determinar as medidas corretivas necessárias à defesa da saúde pública”.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now